Passar para o Conteúdo Principal

GRAÇA MORAIS - DESENHO E PINTURA 1982 – 2005

30 Jun '08 a 31 Dez '08
13 1 980 2500

 

A pintura e o desenho sempre se cruzaram na obra de Graça Morais. A representação da figura associa-se à expressão do gesto nas linhas do desenho ou na tintagem da aguarela que convertem cada trabalho em papel numa condensação do que será nas suas telas disseminado e ampliado, sujeito a um diferente trabalho de composição. Entre o desejo da representação e a expressividade da emoção, o trabalho de Graça Morais centra-se em temas que lhe suscitam as suas insistentes referências: a ancestralidade camponesa, os rituais antropológicos e a sua representação etnográfica, a relação entre a condição da mulher e do homem num universo rural, a relação entre o amor e a morte, entre o animal e o humano. Por vezes, uma inaudita e surpreendente violência contamina a afectividade com que a artista redefine e reinterpreta as figuras que representa, como se elas fossem personagens de uma tragédia antiquíssima, mas sempre presente.

Nas obras reunidas para o Centro que agora se inaugura, dedicado ao seu trabalho, encontram-se exemplos de desenhos e de pinturas onde tais conflitos surgem evidentes: dos retratos de mulheres transmontanas às figuras masculinas representativas da sexualidade e da morte, dos animais de caça aos desenhos de cenas quotidianas de intensa serenidade, uma cosmologia singular se desvenda. Há por vezes uma ambição picassiana transferida para o território de um ponto de vista feminino em alguns destes trabalhos. Há minotauros escondidos por detrás de alguns dos animais feridos que neles encontramos. Natureza e cultura trespassam-se nestes retratos e nestas figuras. No conjunto das obras expostas, uma síntese da obra de Graça Morais surge revelada, nesse domínio onde pintar e desenhar foram também sempre um indício de um desejo de querer dizer.

Comissário: João Fernandes
Produção: Centro de Arte Contemporânea Graça Morais
                   Câmara Municipal de Bragança