Passar para o Conteúdo Principal

Logotipo Centro de Arte Graça Morais

PINTURAS E DESENHOS (1993-2018)

DOAÇÕES DA ARTISTA À COLEÇÃO DO CACGM

19 Out '19 a 31 Mai '20
A ca a  perdizes  2001      211 1 980 2500

 

Curadoria: Jorge da Costa

Representada em inúmeras coleções públicas e privadas, nacionais e internacionais, a obra de Graça Morais constitui, hoje, não só o núcleo mais significativo da coleção do CACGM, mas também, pelo número de trabalhos, séries, temas e até períodos nela reunidos, uma das coleções mais representativas da sua prática artística.
Realizada integralmente a partir de obras doadas pela artista, a génese da coleção foi mesmo anterior à abertura deste espaço ao público, com a oferta de 52 obras, a quando da celebração, em 2007, de um protocolo de colaboração e contrato de comodato com a Câmara Municipal de Bragança.
Desde então, a coleção tem crescido com sucessivas doações, sendo atualmente constituída por mais de uma centena de pinturas e desenhos que agora se apresentam, pela primeira vez, na sua totalidade.
Longe de ser representativa da sua vastíssima obra, a coleção segue naturalmente o percurso artístico de Graça Morais em diversas fases e linguagens que atravessa, não apenas no desenho e na pintura, mas também em áreas como a cenografia, de que são exemplo os trabalhos realizados para peças teatrais, como Ricardo II, de William Shakespeare, para o Teatro Nacional D. Maria II.
Num amplo arco temporal que se estende de 1993 a 2018, a coleção congrega hoje um número expressivo de trabalhos e séries de referência, particularmente um núcleo forte de obras realizadas na década de 1990 (como Maria e Delmina, séries como As Escolhidas ou A Caça) ou ainda do seu trabalho mais recente, Metamorfoses da Humanidade.
Mesmo não pertencendo à coleção, apresentam-se também algumas das mais emblemáticas produções da década de 1980 que, pela sua importância na obra e na carreira da artista, vêm aqui sendo insistentemente mostradas.
Cada uma das obras ou séries, de uma coleção que estará ainda longe de ser um processo encerrado, é acompanhada por um número significativo de excertos de textos de alguns dos muitos autores que já escreveram sobre a sua obra.


Produção: Município de Bragança / Centro de Arte Contemporânea Graça Morais