Passar para o Conteúdo Principal

Logotipo Centro de Arte Graça Morais

Graça Morais na Coleção da Fundação Paço d`Arcos

30 Jan '16 a 28 Ago '16
M scaras x 1988 site 1 980 2500

 

Iniciada em 1991, a Coleção da Fundação Paço d'Arcos reúne hoje um número muito significativo de obras de Graça Morais, capaz mesmo de refletir uma boa parte do seu longo e prolixo percurso artístico.
Consolidada no gosto e no entusiasmo do colecionador, foi por intermédio e recomendação de Paula Rego que, em meados da década de 1980, José Pedro Paço d'Arcos conheceu e se interessou pelo trabalho de Graça Morais, acompanhando desde então, atenta e apaixonadamente, a evolução da sua carreira.
Obras como Interdito e Transfigurado e Mistério do Último Instante, ambas de 1987, foram as primeiras escolhas de uma coleção que é atualmente, pelo número de obras, séries, temas, técnicas e períodos nela reunidas, a mais representativa do trabalho da artista.
Já apresentada em diversas exposições nacionais e internacionais, cada obra da presente coleção encerra simultaneamente histórias e memórias desta longa relação de proximidade e amizade entre a artista e o colecionador, mesmo daquelas que não conseguiu adquirir, como a Pietà de 1987, ainda hoje almejada pelo criador da coleção, para quem “os quadros também se namoram”.
Balizada entre 1977 e 2008 e em permanente atualização, a coleção agrega, entre outros, um núcleo forte de trabalhos das décadas de 1980 e 1990, com especial enfoque para séries como Sagrado e Profano, As Máscaras, Cabo Verde, Diários do Japão, Os Meus Brinquedos ou o Mundo à Minha Volta, a maioria apresentadas no CACGM pela primeira vez.

Curadoria: Jorge da Costa
Produção: Município de Bragança / Centro de Arte Contemporânea Graça Morais
Colaboração: Fundação Paço d'Arcos